Febre Amarela: como emitir o Certificado Internacional de Vacinação

07 de setembro de 2013   |   Primeira Viagem, Utilidades
Febre amarela: Certificado Internacional de Vacinação

Febre amarela: Certificado Internacional de Vacinação

Vou confessar a vocês que já viajei muito sem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a Febre Amarela. E, para ser bem sincera, fui tomar a primeira dose só em 2011 e fazer a certificação somente ontém (!). E porque todo esse papo de vacina contra a Febre Amarela? Simples, ela é exigida pela alfândega em muitos países situados na zona tropical do globo –  e não vale levar o comprovante do postinho que tomou a vacina – É preciso apresentar a tal Certificação Internacional.

Para obter a sua é bem simples!

1) Verifique se você já possui a vacina da Febre Amarela

Se sim, verifique a validade – ela tem duração de 10 anos. Caso precise tomar novamente ou ainda não tenha, procure um posto de saúde municipal ou estadual.  É grátis e você precisa levar a carteira de identidade Ao final, você recebe um certificado que comprova a vacinação. No entanto, não se pode tomar novamente caso faça menos de 10 anos da última dose pelo risco de reações adversas importantes.

2) Procure a Vigilância Sanitária do aeroporto mais próximo

Leve o comprovante de vacina – O CIVP é emitido, gratuitamente, pela Anvisa. Se você mora longe de algum aeroporto, a Anvisa disponibiliza uma lista com outros lugares que podem emitir o CIVP (veja a lista aqui). Recomenda-se criar um cadastro no site da ANVISA para agilizar o atendimento, mas isso não é obrigatório. Eu fiz tudo direto na Vigilância Sanitária do Aeroporto aqui de Florianópolis – é rapidinho e o CIVP é emitido na hora!

Coloque-o junto com o seu passaporte e carteira de identidade para não esquecer na hora de viajar!

Quais países exigem a CIVP da Febre Amarela?

A Anvisa disponibiliza uma lista onde é possível saber, com antecedência, se precisa ou não da CIVP da Febre amarela. Onde há o “yes” na coluna do meio e da direita, há necessidade da vacina. Vale lembrar que o Brasil é considerado um país onde há risco de transmissão de febre amarela.

E se eu perder o certificado internacional?

É só pedir a segunda via a algum centro de atendimento da Anvisa, pois uma vez feito o cadastro ele fica disponível em qualquer atendimento da Anvisa.

Não esqueça: a vacina precisa ser tomada com antecedência mínima de 10 dias à viagem, pois neste período pode ocorrer reações como mal-estar, febre baixa, além de poder ser barrado no aeroporto de destino.

Antes de viajar, coloque o CIVP  junto com o seu passaporte e carteira de identidade para não esquecer na hora de viajar!

Facilite sua viagem:

Por
Clarissa
Compartilhe este post
Deixe um Comentário
8 Comentários
  1. Pedro (Viaje com Pedro)   -   em 10 de setembro de 2013 15:35

    A tal da vacina contra a febre amarela… nesse sentido sinto falta do Brasil, pois na Inglaterra paga-se 50 libras pela vacina, já que o NHS (INSS daqui) não faz isso de graça! :-(

  2. Vagner Lima   -   em 22 de setembro de 2013 02:40

    Muito Bom!
    Obrigado Pelas Dicas.

  3. Carlos Machado   -   em 05 de Maio de 2014 19:20

    Muito bom…Dicas claras e objetivas. Obrigado.

  4. Janahyna Barbosa   -   em 01 de junho de 2014 12:11

    OBRIGADA PELAS INFORMAÇÕES, pena só ter uma opção no Vale do Paraíba e como tomei não poder me proporcionar somente o Certificado e ter que ir no Aeroporto de Guarulhos que é a opção mais próxima para pegar, afinal viajo de madrugada, não poderei pegar antes de viajar.:(

  5. roseli aparecida moreira   -   em 29 de setembro de 2014 21:57

    Vou viajar para Europa dia 7 de outubro quero minha carteira internacional pela Anvisa.

    • roseli aparecida moreira   -   em 29 de setembro de 2014 21:59

      estou cadastrado ne!!!

  6. nuno ribreiro   -   em 05 de Maio de 2015 22:40

    sou portuenses estou indo pra o brasil como posso ter a vacina amarela ??

    • Clarissa M. Comim   -   em 06 de Maio de 2015 09:53

      Você precisa ver onde é disponibilizado na sua cidade. Se caso não for, ao chegar ao Brasil, procure o centro da vigilância sanitária no Aeroporto.

Deixe seu Comentário