Florianópolis e os encantos do Sul da Ilha | Parte I

29 de dezembro de 2012   |   América do Sul, Brasil, Destaques, Florianópolis, Praias, Santa Catarina

Visitar Florianópolis e não incluir no roteiro o Sul da Ilha é dispensar a oportunidade de apreciar uma natureza ainda intocada pelo homem. Além das lindas paisagens é possível vivenciar o aspecto rústico da vida dos pescadores e aproveitar as praias que ainda transmitem tranquilidade quando comparadas com a lotação das tradicionais praias do norte da ilha.

1. Praia do Campeche

O nome Campeche possuí duas versões, uma originada de uma árvore, o Pau-Campeche de madeira corante empregada em tinturaria muito utilizado no início da colonização. A outra, aponta o nome como uma união das expressões francesas “champ” (campo) e “pêche” (peixe) que provém do apelido francês que o visitante deu ao lugar: Campo de Pesca.

A Praia do Campeche conta com 3,5 Km de extensão e está localizada entre a Praia da Joaquina e o Morro das Pedras. A praia conta com boa infra-estrutura de estacionamento (R$ 10,00 a R$ 15,00 a diária/carro), posto de salva-vidas, bares e restaurantes na sua orla.

Praia do Campeche com vista para o Morro das Pedras e a Praia da Armação

Praia do Campeche com vista para o Morro das Pedras e a Praia da Armação

As condições do mar com ondas fortes são ideais para a prática de surf, mas também é muito comum encontrar praticantes de outros esportes (vôlei de areia, futebol e frescobol) em suas areias.

Praia do Campeche e a vista para a Ilha do Campeche

Praia do Campeche e a vista para a Ilha do Campeche

Praia do Campeche e a vista para a Ilha do Campeche

Praia do Campeche e a vista para a Ilha do Campeche

Como Chegar:

Ônibus: No terminal Rita Maria no Centro de Florianópolis – Ônibus que faz a linha para Rio Tavares – Terminal Rio Tavares – Ônibus que faz a linha para Campeche – Desce no final da Avenida Pequeno Príncipe/Praia do Campeche.

OBS: O custo de cada passagem gira em torno de R$2,70 a R$3,00 cada trecho.

Carro: Ponte Ivo Campos Sales – Avenida Gustavo Richard – Túnel Deputada Antonieta de Barros – Via Expressa Sul – Trevo para o Aeroporto – Vira a Esquerda – Sentido Praias do Sul – Trevo Rio Tavares – Vira a Direita no Posto Texaco – Trevo do Campeche – Vira a Esquerda – Avenida Pequeno Princípe até o fim – Praia do Campeche.

2. Ilha do Campeche

É a única ilha do país tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional, na qual abriga praias com águas calmas e cristalinas e conta com dezenas de incrições rupestres protegidas por sítios arqueológicos, acessíveis por trilhas guiadas sob os cuidados da Associação Couto de Magalhães que são responsáveis pela manutenção e preservação da mesma.

Atualmente, possuí infra-estrutura de bares e restaurantes que atendem todos os visitantes da ilha, mas o serviço é lento e o custo é um pouco mais elevado daqueles encontrados nas praias.

Como Chegar:

– Praia Barra da Lagoa: travessia é realizada em um barco turístico/scuna com boa infra-estrutura (incluso água e frutas) realizado por uma operadora local (Loja fica em frente a Ponte) com duração de aproximandamente 1:20 hrs. É um passeio demorado, mas muito bonito. É possível avistar algumas das praias mais tradicionais de Floripa (Barra da Lagoa, Praia da Galheta, Praia Mole, Praia da Joaquina e Praia do Campeche) durante todo o percurso de navegação. Contudo, o custo do passeio é um pouco mais alto quando comparado a outras alternativas, girando em torno de R$ 60,00. O único inconveniente deste passeio é que ele chega muito tarde na ilha e você não consegue pegar vagas para as trilhas, já que as mesmas são limitadas.

– Praia da Armação: travessia em bote ou “baleeira” dura 30 minutos e você pode negociar a mesma com pescadores no local por R$ 45,00.

– Praia do Campeche: travessia em bote ou “baleeira” dura 20 minutos e você pode negociar a mesma com pescadores no local por R$ 40,00.

O que fazer na Ilha do Campeche:

– Trilhas Monitoradas: são 5 opções de trilhas (caverna do morcego, letreiro, pedra fincada, volta norte e pedra preta do sul) realizadas com guias sob o pagamento de uma taxa (varia de R$ 5,00 a R$ 15,00), onde a verba é destinada ao pagamento da equipe e manutenção da ilha.

OBS: É proibido fazer trilhas sem monitores, acampar, fazer fogueiras, levar ou pegar animais e plantas.

–  Mergulho

Para dúvidas e/ou demais informações acesse o site.

O que levar:

– Equipamento de mergulho (Snorkel) ou alugar no local

– Tênis para caminhada (trilhas)

– Boné/Chapéu/Óculos de Sol

– Protetor solar

– Máquina fotográfica

3. Morro das Pedras

Está localizada entre a Praia do Campeche e a Praia da Armação. Seu visual é único destoando de todas as paisagens comuns de uma praia, na qual pode-se apreciar a natureza do mar se chocando contra as pedras.

Uma visita à Casa de Retiro Vila de Fátima é obrigatória, uma vez que a vista é magnífica. A casa de retiro foi construída pelos jesuítas em cima de uma colina com pedras extraídas do próprio local. O visual é inesquecível e a praia permanece intacta sem contruções ou quiosques à beira-mar.

Morro das Pedras

Morro das Pedras

Entrada para a Casa de Retiro Vila Fátima

Entrada para a Casa de Retiro Vila Fátima

Casa de Retiro Vila de Fátima

Casa de Retiro Vila de Fátima

O Morro das Pedras é um prato cheio para os amantes do surf, pois as condições das ondas não sofrem alterações com o vento sul forte, mantendo-se sempre boas para essa prática. Iniciantes, não vão se aventurar/arriscar por aqui (rsrsrs). Procure sempre ter cautela e optar por praias que se adequem ao seu nível/experiência no esporte.

Vista do mirante da Casa de Retiro Vila de Fátima para a praia morro da armação

Vista do mirante da Casa de Retiro Vila de Fátima para a praia morro da armação

Já na Praia do Campeche há placas de sinalização indicando o sentido que deve seguir para chegar no Morro das Pedras. Não tem erro!

4.  Parque Municipal Lagoa do Peri

A Lagoa do Peri  é a maior lagoa de água doce da costa catarinense, com cerca de 5 km2 de extensão. A área em volta da lagoa apresenta uma diversidade de mata e trilhas que desvendam cachoeiras e antigos engenhos coloniais representando uma área total de 23 quilômetros quadrados sendo fundada em 1981 o Parque Municipal a Lagoa do Peri que mantem-se protegida pela Fundação Municipal do Meio ambiente (FLORAM) e preservada como Patrimônio Natural pelo Decreto Municipal n°1828.

Entrada do Parque Municipal Lagoa do Peri

Entrada do Parque Municipal Lagoa do Peri

A lagoa é dividida em 3 áreas:

– Praia da Lagoa: praia de água doce e calma é própria para banho. Atividades como passeios de barco, caiaque e pescarias são permitidas no local.

– Lazer: Trilhas, banheiros, parque infantil, churrasqueiras (80), bar, lanchonete, estacionamento (200 carros) e posto de salva-vidas.

São 3 opções de trilhas possíveis de serem realizadas no Parque: O caminho do saquinho (contorna as margens norte e noroeste apreciando as áreas preservadas da Mata Atlântica e resquícios de engenhos coloniais), caminhos da restinga (trilha que vai da Lagoa até a Praia da Armação) e o caminho da gurita (riachos e pequenas cachoeiras).

– Reserva Biológica: um dos pontos onde a vegetação está mais preservada na Ilha é utilizado em casos de pesquisas.

Área de lazer do Parque Municipal Lagoa do Peri

Lagoa do Parque Municipal da Lagoa do Peri

Lagoa do Parque Municipal da Lagoa do Peri

Por
Mariane Barbosa
Compartilhe este post
Deixe um Comentário
3 Comentários
  1. nauber ventura   -   em 08 de Janeiro de 2013 11:34

    Muito bom, olhando essas imagens me da uma saudade. Atualmente estou morando na Serra Gaúcha, que é um lugar bem lindo por sinal, mas florianópolis é demais. Belo post Mariane.

  2. Mariane Barbosa   -   em 09 de Janeiro de 2013 18:45

    Obrigada Nauber, eu estou amando morar em Floripa! Ainda não conheci a serra gaúcha, mas em breve estarei explorando as belezas dessa região :)

  3. Mariza Bastos Bauer   -   em 27 de Fevereiro de 2013 20:42

    Parabéns Mariane, perfeito!!!!

Deixe seu Comentário