15 Jan

Rapel no Abismo Anhumas em Bonito

Assim como a Gruta do Lago Azul, este passeio também está na minha Top ten list das atrações em Bonito. Trata-se do Abismo Anhumas, já podem imaginar a aventura só pelo nome! É uma caverna a 72 metros no sub-solo com magníficas formações que esconde um lago de águas cristalinas. Só tem um detalhe, o acesso é possível somente por meio de Rapel em uma fenda na rocha. O início da aventura começa as 18 h do dia anterior: treinamento de rapel em uma torre de 8 m, na sede da empresa, no centro de Bonito. Neste momento, instruções importantes são dadas e praticamos as técnicas básicas de Rapel. Além disso, pessoas com problemas cardíacos, obesidade, diabetes ou medo de altura incapacitante serão barradas, sem devolução do valor pago! Portanto, antes de contratar este passeio certifique-se de estar em boas condições de saúde.

Chamado de “Buraco” pelos nativos, o Abismo fica no Vale do Anhumas, conhecido por concentrar cavernas belíssimas como a Gruta do Lago Azul e Nossa Senhora Aparecida. Do centro até ali são 23 km (transporte não incluso). É recomendado vir de calças ou bermudas longas e tênis para evitar ferimentos por possível abrasão da corda. A entrada é nesta pequena fenda, com espaço para duas pessoas. Logo na saída é preciso girar o corpo para não raspar nas pedras! Tudo muito seguro e os monitores extremamente profissionais. Então, o treinamente do Rapel do dia anterior é colocado em prática. Poucos metros abaixo, a fenda dá lugar a uma abertura imensa, onde se tem uma visão panorâmica do que é o abismo. A descida é feita sempre dois-a-dois, para melhor estabilidade. Os monitores vistoriam minuciosamente o equipamento – mosquetões, descensores tipo stop, cordas de segurança, luvas e capacetes. Por questões de segurança, não é permitido levar máquinas fotográficas durante o rapel.

WOW!!! Fiquei boquiaberto com a vista la de cima: é simplesmente impressionante! A sensação de estar estar suspenso por uma corda a 72 m de altura é animal! Neste momento se pode ver a grandiosidade da natureza e a insignificância do homem. O lago é do tamanho de um campo de futebol, com aproximadamente 24.000 m3 de água e profundidade de 80 m. Possui uma visibilidade que nos mostra mais de 20 cones submersos de formação calcária, onde a natureza mais uma vez nos mostra seu poder e perfeição. Ao final do Rapel, um deck flutuante suspenso sobre o lago Azul turquesa oferece espaço para melhor observar a beleza da caverna, considerada a maior caverna submersa do mundo!

Ao final do Rapel, começamos a nos preparar para mais um etapa do passeio: a flutuação no lago. Devido a temperatura da água (18 oC) é necessário o uso de roupa de Neoprene, máscara e snorkel, escolhidos e provados após o treinamento do Rapel no dia anterior. O guia nos leva por um trajeto no lago por cerca de 30 min. Recebemos lanternas para melhorar as visibilidade e nos comunicarmos. Além do “vale dos cones”, pudemos observar a ossada de Tamanduá Bandeira repousando no fundo do lago. Há relatos que pesquisadores descobriram ossadas de uma preguiça-gigante e de um tigre-dentes-de-sabre nas profundezas da caverna.

Após a flutuação, fizemos uma mini-expedição num bote inflável para explorar outros cantos da caverna. Por cerca de meia hora navegamos silenciosamente pelo lago e pudemos observar as maravilhas geológicas de milhares de anos, e como tudo era lentamente formado. O gotejamento constante do teto ecoa pela caverna e transforma o ambiente em algo surreal! Aventureiros com certificação em mergulho autônomo podem aproveitar e submergir, acompanhados de um guia experiente, até 18 m de profundidade e se maravilhar com os enormes cones, de até 20 m de altura, submersos do lago .

Nem tudo são rosas! O retorno a superfície é a parte mais difícil do passeio. Ao contrário dos 10 minutos de descida, a volta leva entre 45 min a 1 h, dependendo da aptidão física e da energia que resta. As habilidade treinadas do dia anterior serão colocadas em prática. Lembro que um guri de +- 12 anos foi puxado pelos instrutores que estavam lá em cima. Algo parecido aconteceu com meu pai. Ele conseguiu ir até um trecho, mas devido a um problema no braço, sequela de um acidente, sentiu muita dor e também foi puxado até a superfície.

Gostou da imagens? Clique aqui e veja mais…

 

Coordenadas by Garmin: S 21º09’07.1” / W 056º35’51.1”

Abismo Anhumas*

www.abismoanhumas.com.br

Valor por pessoa (não inclui alimentação nem transporte):

– Adutos/crianças (06 a 10 anos): R$ 465,00;

– Adultos (c/ mergulho autônomo): R$ 650,00

Tempo necessário: meio dia

Distância de Bonito: 23 km

Não esquecer: roupas leves, tênis, boné/chapéu, câmera, vouchers do passeio. Evite levar protetor solar/repelente para não contaminar a água do lago.

Importante: a estrutura do local é simples, tendo apenas banheiro químico e pequena sala de suporte para equipamentos, não existe lanchonete/bar. Deve-se levar comidas leves (sanduíches, barras de cereal) para repor as energias durante o passeio.

*Uso obrigatório de tênis. Passeio não recomendado para pessoas que possuam alguma dificuldade de mobilidade, gestantes e portadores de labirintite. Crianças apenas acima de 6 anos completos.

 

Mais de Bonito:

Bonito: informações práticas

Pousada Sucucuá

Rapel no Abismo Anhumas em Bonito

Gruta do Lago Azul

Restaurante Aquário

Flutuação no Rio Sucuri

Restaurante Pantanal – Carnes exóticas

Passeio de Bote Iberê

Ilha do Padre

 

Categorias: América do Sul, Bonito, Brasil, Ecoturismo, Mato Grosso do Sul, Pantanal, Pontos Turísticos, Turismo de Aventura
11 Dec

Gruta do Lago Azul | Bonito

Surreal!!! Foi como consegui descrever este lugar… com certeza está na minha Top 10 list de Bonito. Apesar de não ter a adrenalina do rapel no Abismo Anhumas ou das corredeiras do Bote Iberê, contemplar a natureza também me fascina. Trata-se da Gruta do Lago Azul, uma caverna descoberta por um índio Terena em 1924, que abriga no seu interior um lago azul com dimensões que a tornam uma das maiores cavidades inundadas do planeta! Não bastasse, a incidência da luz mostra águas cristalinas e de cor azul turquesa, simplesmente indescritível! Em 1978 foi tombada como monumento natural, o que garantiu a preservação deste cartão-postal da cidade. O número de visitantes também é rigorosamente controlado, além de ser acompanhado por um guia especializado. O receptivo oferece bar e restaurante, sanitários e loja de souvenirs.

Antes de iniciar o passeio, recebemos uma breve instrução de segurança pelo guia que nos acompanha todo o trajeto. Capacete é ítem obrigatório. Dalí, somos guiados por um caminho de +- 300 m mata adentro até o início da descida – uma abertura de 40 m de largura rodeada por mata nativa de muitos cipós. Neste ponto, o guia frizou a importância de realizar a descida com calma, evitar pisar em pontos claros (rochas calcáreas muito escorregadias) e também observar pontos esbranquiçados e úmidos no chão – onde lentamente se formam as estalagmites, formações rochosas pontiagudas – para não pisarmos e interferir neste processo que é muito sensível.

Durante o caminho são feitas algumas paradas para descanso e contemplação. A descida é de cerca de 100 m por uma escadaria rústica de +- 300 degraus que leva uns 15 minutos. Uma escadaria suspensa estava sendo projetada, para também preservar o solo. Há cordas guias nas laterais que não devem ser ultrapassadas. É possível visualizar os espeliotemas: as estalagmites (rochas que vêm do chão) e as estalactites (rochas que vêm do teto), ambas são formações pontiagudas de rocha calcárea, formadas pela cristalização de carbonato de cálcio, processo que leva centenas de anos – 6 a 25 mm por século! Portanto, cuidado!!!

E, ao final da trilha… Voilá! Uma lagoa de água azul-turquesa, cristalina e calma, quase irreal! Tem 90 metros de profundidade e 120 metros de largura. Estar alí é simplesmente energizante e impressiona pela beleza única. O silêncio ajuda a apreciar este espetáculo da natureza que o homem, além de não ter destruído, preserva até hoje. Uma série de fósseis de mamíferos – como o tigre-de-dente-de-sabre e a preguiça gigante – que viveram 6.000 a 10.000 anos atrás, foram encontrados quando ainda era possível mergulhar na lagoa. Sua profundidade é estimada em 90 m. Ninguém sabe ao certo de onde vêm suas águas, mas acredita-se que venham de um lençol freático que passa por rochas calcárias que funcionam como filtro, o que dá a transparência que lhe é característica. A melhor época para visitação é entre dezembro e janeiro, pela manhã, quando o sol incide diretamente na entrada da gruta, tornando o azul da água ainda mais intenso.

Mais fotos? Clique aqui.

Coordenadas by Garmin: S 21º08’35.4” / W 056º35’14.7”

Gruta do Lago Azul*

Estrada para Campo dos Índios, Km 20, Bonito – MS

Valor por pessoa: Adulto/Criança R$ 36,00 (acima de 5 anos)

Tempo do passeio: 3 h

Distância de Bonito: 19 km

Não esquecer: roupas leves, tênis, protetor solar, repelente, boné/chapéu, câmera, vouchers do passeio

*Uso obrigatório de tênis. Passeio não recomendado para pessoas que possuam alguma dificuldade de mobilidade, gestantes e portadores de labirintite. Crianças apenas acima de 5 anos completos.


Mais de Bonito:

Bonito: informações práticas

Pousada Sucucuá

Rapel no Abismo Anhumas em Bonito

Gruta do Lago Azul

Restaurante Aquário

Flutuação no Rio Sucuri

Restaurante Pantanal – Carnes exóticas

Passeio de Bote Iberê

Ilha do Padre

Categorias: América do Sul, Bonito, Brasil, Destaques, Ecoturismo, Mato Grosso do Sul, Pantanal, Passeios, Pontos Turísticos, Turismo de Aventura
09 Dec

Onde comer em Bonito? Restaurante Aquário

Outra indicação do Valentim, proprietário da pousada Surucuá, em Bonito, foi o restaurante Aquário, localizado na rua principal da cidade. Segundo ele era o melhor restaurante para comer peixe, pois carne de jacaré já havíamos comido no restaurante Pantanal, quase em frente, no dia anterior. A gente não poderia voltar para o Sul sem experimentar o famoso Pintado na telha. Assim como o restaurante Pantanal, este também tem tanto mesas internas como externas.

O ambiente é muito agradável. Pegamos uma mesa na parte externa para aproveitar uma leve brisa que passava. O atendimento foi fora de série e o garçom, muito engraçado!

Nosso pedido para o jantar para três pessoas foi:

– Salada simples (R$ 12,00):

– Pintado grelhado com Alcaparras e Champignon (R$ 58,00);

– Pintado na telha à urucum (R$ 52,00): molho especial com urucum, gratinado, servido com arroz e pirão;

– Duas cervejas Bohemia (R$ 7,50).

Não preciso nem dizer que estava muito apetitoso! Peixe com sabor intenso, mas não enjoativo, muito suculento e saboroso, principalmente o Pintado na telha a urucum. Recomendo!!! É importante lembrar que em todo o território de Bonito a pesca é proibida. Assim, o peixes utilizados nos pratos são provenientes de outras regiões ou criadores autorizados.

Dica: os principais restaurantes têm convênios com os hotéis/pousadas e agências de turismo e dão desconto de 10% se apresentar o cartão de desconto.

Restaurante Aquário

Rua Coronel Pilão Rébua esq. com Rua Senador Filinto Muller – Bonito – MS

(67) 3255-1893

Formas de pagamento: Cash, não aceita cheques

Cartões  MasterCard Visa American Express Diners (débito ou crédito)



Mais de Bonito:

Bonito: informações práticas

Pousada Sucucuá

Rapel no Abismo Anhumas em Bonito

Gruta do Lago Azul

Restaurante Aquário

Flutuação no Rio Sucuri

Restaurante Pantanal – Carnes exóticas

Passeio de Bote Iberê

Ilha do Padre

Categorias: Bonito, Brasil, Mato Grosso do Sul, Pantanal, Petiscos, Restaurantes
Página 1 de 512345