28 Apr

Fernando de Noronha: seis dias no paraíso (ou nossa primeira viagem sem o bebê)

Fernando de Noronha foi o destino da nossa primeira viagem sem o Augusto – apenas eu e o Omar. Quando o pimpolho completou dez meses, achamos que já era hora de termos um tempo somente para nós e retomarmos os laços como casal (só quem passou pelas turbulências do primeiro filho irá entender rsrsrs). A ideia da viagem foi minha. Não vou dizer que foi fácil deixar o pimpolho, mas acredito que foi importante para todos. Antes de começar a planejar a viajar, me certifiquei que minha mãe e sogra poderiam vir ao nosso apartamento para cuidar do Augusto. Não queria deixá-lo na casa de ninguém. Queria que ele ficasse na casa dele e com pessoas que já estava acostumado. E deu certo! ele aproveitou para brincar com as avós, as avós adoraram o tempo que passaram com o neto e eu e o Omar nos divertimos na viagem :)

Baía dos Porcos

Enfim, tínhamos poucos dias antes de retomar ao trabalho para viajar (fomos nos primeiros dias de fevereiro). Partimos numa terça-feira as 6h da matina de Florianópolis e chegamos em Fernando de Noronha as 13h. Pagamos as devidas taxas no aeroporto (é obrigatório ao chegar na ilha) e fomos direto a Pousada Ilha do Frade, onde ficamos. Que aliás, adoramos e recomendamos (R$440 a diária)! Nesse primeiro dia, aproveitamos para comer algo com calma (escolhemos o Restaurante Corveta), pagar a taxa da carteirinha ambiental (sim, além da taxa de entrada na ilha – por dia, há também uma taxa para adquirir uma carteirinha ambiental para poder entrar em algumas praias e fazer algumas trilhas localizadas na parte da ilha onde há proteção ambiental. Ao todo, para seis dias, pagamos R$1000 o casal, somente de taxas ambientais. Depois de comer algo e com todas as taxas pagas, aproveitamos para acompanhar a soltura das tartarugas, pelo Projeto Tamar, na Praia do Bode – e ainda curtir aquele pôr do sol!

Almoço no Restaurante Corveta

No nosso segundo dia na ilha, fizemos um passeio chamado Ilha Tour. Ele dura o dia todo, com poucas pessoas, e percorre as principais praias (além de conhecer as histórias locais). Fomos a Praia do Sancho (considerada a mais bonita do mundo), a Baía dos Porcos (através do observatório), Baía do Sueste (onde fizemos snorkeling com peixes, tubarões e tartarugas), Praia do Leão (através do observatório), Praia do Porto de Santo Antônio (onde saem as embarcações – bom local para snorkeling também), Praia da Cacimba do Padre (onde é o acesso a Baía dos Porcos e ao Morro Dois Irmãos) e por fim, assistimos o pôr do sol da Vila do Boldró (e foi lindo!).

Pôr do Sol no Boldró

Terceiro dia, fizemos uma grande besteira! Agendamos dois passeios de barco para o mesmo dia! Ou seja, passamos mal de tanto enjoo ;/ O Passeio da manhã era ao redor da ilha (com direito a golfinhos e tudo mais!) com uma parada na Praia do Sancho para mergulho. Foi maravilhoso! Mas acabei passando mal pois não tomei o remédio de enjoo que costumo tomar quando faço esses tipos de passeios. O passeio da tarde era o mergulho com o uso de uma pranchinha amarrada em um banco. Ao final, houve churrasco e um pôr do sol em alto mar. Muito legal também, mas muito tempo dentro do barco) Nesse dia, almoçamos no Restaurante Mergulhão com uma vista linda para a Praia do Porto de Santo Antônio! Se quiserem fazer estes passeios, agendem para dias diferentes :)

Parte da Praia do Sancho

Quarto dia, como tínhamos o dia todo livre, alugamos um buggy e voltamos as praias que mais gostamos! Fomos a Baia dos Porcos, Cacimba do Padre e Baía do Sueste. Almoçamos no restaurante da Pousada Maravilha, um dos melhores restaurantes da ilha! Esse foi um dia em que realmente descansamos e ficamos de bobeira nas praias.. sem hora para sair, sem compromisso! Por mais que os passeios comprados sejam divertidos, nada como não ter horário para cumprir..

Snorkeling na Baía do Sueste

Quinto dia, pela manhã tínhamos agendado uma trilha – Trilha dos Abreus. A trilha é relativamente curta e fácil (somente o último trecho onde é necessário descer até a praia com a ajuda de uma corda) e ao fim, você faz snorkeling em piscinas naturais. Essa trilha precisa ser agendada pois há um limite de pessoas por dia pois as piscinas naturais são protegidas. Vimos peixes de diferentes cores e tamanhos! Todas as trilhas podem ser agendadas (com antecedência) na sede do Projeto Tamar. Queríamos ter feito a Trilha do Atalaia mas não haviam mais vagas ;/

Vista do Restaurante Mergulhão para a Praia do Porto

A tarde fomos fazer mergulho subaquático! O Omar já é licenciado e foi muito mais fácil para ele. Mas para mim, esse foi meu primeiro, e fiquei um tanto apreensiva! Mas deu tudo certo e adorei a experiência! O mergulho foi a 12 metros de profundidade guiada por um instrutor experiente! A empresa que contratamos para o mergulho foi a Atlantis :) Para finalizar, jantamos no Restaurante Varandas e adoramos! Consideramos um dos melhores de Fernando de Noronha!

Pôr do sol em alto mar

Sexto e último dia percorremos algumas trilhas livres e almoçamos no restaurante da Pousada Zé Maria e partimos para o Aeroporto. Nosso vôo saiu as 15h e chegamos em Florianópolis a meia noite. Chegamos em casa morrendo de saudade do nosso pimpolho!

Mergulho de batismo

Se valeu a pena? Sim! Apesar de todos os dias fazer FaceTime com o pimpolho e pensar nele quase o tempo todo, conseguimos curtir a ilha sem aquela preocupação com as necessidades do filhote. Nos curtimos, namoramos, conversamos.. Foi uma viagem necessária para firmar os laços do relacionamento. Necessário após tantas turbulências pós bebê! Ficamos tranquilos quanto ao Augusto pois sabíamos que ele estava em casa com as suas duas avós e muito bem cuidado! Renovamos a energia e voltamos prontos para mais um ano de trabalho e parceria!

Custo x beneficio? Achamos Fernando de Noronha um destino bonito mas caro. Pode ser devido as proteções ambientais e tudo mais (que achamos corretíssimo!) mas se for analisar tudo o que a ilha oferece e os preços praticados, o destino torna-se caro. É lindo, águas transparentes, dias maravilhosos, paisagens que dão vontade de ficar aí para sempre.. ou seja, todos os clichês possíveis, mas preparem os bolsos.. Como não há muitas opções, não tínhamos muitas escolhas. Todos os mantimentos vem do continente por navios e isso já vem embutido no preço dos itens, principalmente itens do mercadinho, como a água. Restaurantes bons também acabam sendo caros.  Mas enfim, nos já fomos sabendo que seria um destino caro. Acho que o mais importante é estar consciente disso e aproveitar as belezas naturais da ilha :)

Mais sobre Fernando de Noronha:

Facilite sua viagem:

Categorias: Brasil, Fernando de Noronha, Pernambuco
10 Apr

Dica de pousada em Lavras Novas: Pousada Gourmet Vila São Francisco

Espaço interno da Pousada Gourmet Vila São Francisco

Quando começamos a procurar por hospedagem em Lavras Novas, quisemos dar preferência para aquelas que ofereciam chalés a seus hóspedes, e assim encontramos, em um site de busca de hotéis, a Pousada Gourmet Vila São Francisco, e desde então nos encantamos pelas fotos.

A pousada é nova, tendo recebido hóspedes pela primeira vez em 2016, e parece um sítio muito bem decorado, o que já agradou desde a primeira vista. A recepção também foi bastante agradável, pois fomos recebidos de forma afetuosa pelo dono da pousada, o Sr. Amaral, e pelo seu cachorro da raça Beagle, o Charlie, que fica sempre por perto. Como chegamos antes do horário de check in e nosso chalé ainda estava sendo arrumado, ambos nos acompanharam até um conjunto de mesa e cadeiras, que fica em uma sombra embaixo de uma árvore, e nos foram oferecidos petiscos, um drinque, a senha da internet WiFi e o mapa da cidade de Lavras Novas. Em pouco tempo já pudemos nos acomodar em nosso chalé.

Recepção calorosa na pousada.

Recepção calorosa na pousada.

Charlie, o Beagle dócil que está sempre fazendo companhia para os hóspedes.

A Pousada Gourmet Vila São Francisco possui chalés diferentes uns dos outros, sendo todos muito bonitos e com vistas incríveis para o jardim ou para as montanhas. Ficamos no Chalé chamado Lavras Novas, que possui dois andares e é muito bem decorado e confortável. A parte de baixo possui uma sala com poltronas, televisão de tela plana, mesas e cadeiras, um mini frigobar, microondas e utensílios como talheres, pratos e copos, além do banheiro, tudo muito organizado. A dica é comprar aperitivos para aproveitar a sala do chalé após um longo dia de passeio. A porta e as janelas, todas de vidro, que compõem a entrada, possuem cortinas para dar maior privacidade.

Chalé lindo em que nos hospedamos. Fiquei encantada!

Esse chalé de dois andares é chamado de Lavras Novas. Os detalhes da decoração fazem toda a diferença. Tudo foi feito e planejado com muito cuidado e bom gosto.

Já no interior do chalé, essa é a sala, na parte de baixo.

Parte de baixo do chalé vista de outro ângulo.

Ainda sobre a parte de baixo: à esquerda tem a mini cozinha e ao lado a porta que leva ao banheiro.

Escada que leva ao segundo andar do chalé.

Já no andar de cima fica o quarto, com uma cama de casal e um colchão adicional espaçoso com almofadas, além de um pequeno closet com prateleiras e cabideiros. Tudo é cuidadosamente arrumado e a decoração mais uma vez chama a atenção. Dois pontos positivos do quarto são um cortinado e um espelho de tamanho satisfatório.

Este é o quarto no segundo andar. Tudo muito arrumado, bonito e confortável.

Vista do segundo andar do nosso chalé.

Roupões disponibilizados e o pequeno closet ao fundo.

As noites na pousada são tranquilas e silenciosas, já que ela fica em uma região que não possui muito movimento. Mas ainda assim ela está localizada a apenas 600 metros do centro da cidade, onde ficam os bares e lojas de artesanato. Com isso, podíamos fazer o tour a pé sem maiores dificuldades.

O café da manhã é servido de forma bastante caprichada no chalé que funciona como a cozinha da pousada, sendo ela muito bonita e agradável. A sensação é de que estamos tomando café na casa de parentes próximos, tamanha a boa receptividade que deixa o hóspede super à vontade. Os proprietários mesmos que recepcionam os hóspedes e preparam tudo com o maior cuidado e carinho. A mesa é bem arrumada e a variedade de alimentos é grande e satisfatória. Fiquei encantada com os pratos quentes preparados pela Raquel e servidos na hora, tudo muito saboroso. Considerei o café da manhã realmente um ponto forte da Pousada que é mesmo Gourmet e personalizado!

Mesa impecável do café da manhã.

Cozinha linda da pousada!

Prato quente delicioso preparado na hora e no maior capricho pela Raquel.

A Pousada ainda tem espaço para estacionar o carro em seu interior. Paramos o nosso ao lado do chalé em que nos hospedamos.

Entrada da pousada com portão para veículos.

Dá para estacionar o carro no interior da propriedade.

Recomendamos a Pousada Gourmet Vila São Francisco por todos esses pontos: Conforto, beleza, receptividade, simpatia dos proprietários, tranqüilidade da região, vistas bonitas, café da manhã delicioso, espaço interno bonito, o que faz parecer um sítio, além da boa localização. Eis, portanto, uma ótima dica para quem quer ficar bem hospedado na hora de explorar Lavras Novas.

O Charlie olhando o movimento.

Um dos chalés da pousada.

Pousada Gourmet Vila São Francisco
Clique aqui para reservar!

Fotos: Tiago Morais

Mais sobre Minas Gerais

Facilite sua viagem

Categorias: Brasil, Lavras Novas, Minas Gerais, Pousadas
19 Mar

A charmosa e romântica Lavras Novas em Minas Gerais

As casinhas coloridas de Lavras Novas/MG

Depois de quase 2 horas de carro partindo de Belo Horizonte, e de mais 15 minutos em dois trechos de estrada de terra, já é possível avistar Lavras Novas ainda do caminho, encantadora já à primeira vista, incrustada nas serras de Minas com suas casinhas coloridas. A vegetação predominante, o ar mais fresco e o silêncio já dão uma idéia para o turista do que ele vai encontrar nessa pequena cidade mineira.

Estrada que leva a Lavras Novas.

Estrada de terra que leva a Lavras Novas.

A beleza da vista da estrada de terra.

Vale a pena parar na beira da estrada já próximo a Lavras Novas para tirar fotos como essa. O visual é incrível.

Logo na entrada da cidade, as ruazinhas estreitas e de pedras com suas casas simples e rodeadas por belezas naturais já arrancam os primeiros suspiros. Os detalhes são de encher os olhos, como, por exemplo, as lixeiras das casas que foram transformadas em vacas coloridas.

Ruazinhas estreitas de pedra em Lavras Novas.

Detalhes das casinhas, sendo uma delas uma loja de artesanato local.

Outra loja de artesanato.

Lavras Novas é um distrito da famosa cidade histórica de Ouro Preto, bem pequeno e próximo também de cachoeiras. A pequena cidade é conhecida por sua tranqüilidade e pela grande quantidade de pousadas de variadas cores, estilos e estruturas, que oferecem chalés sossegados e com belas vistas a seus hóspedes. Ela é rica em estórias e lendas e é preservada também com a ajuda de seus moradores, que são cientes da sua importância histórica. Na época do período colonial brasileiro, foram descobertas minas de ouro onde hoje está a cidade de Lavras Novas, e foi aí que o local foi se desenvolvendo.

Casas coloridas são uma marca de Lavras Novas

Eleita pela revista Viagem como um dos 8 lugares perfeitos no Brasil, Lavras Novas é bastante procurada por pessoas que buscam aventuras, para as que querem sossego e para as que desejam um lugar romântico para curtir a natureza e a tranqüilidade a dois. Ou seja, esta pequena e charmosa cidade atende aos mais variados gostos e conquista a todos que passam por lá.

Há bons restaurantes e bares pela cidade, principalmente na Rua da Igreja, Nossa Senhora dos Prazeres, ambas com o mesmo nome. Os bares, com músicas ao vivo, ficam cheios de turistas, dando um clima bem animado à região. Outros visitantes preferem caminhar pelas ruas e fazer belas fotos da cidade, pois belas paisagens é o que não faltam. Já outros, mais radicais, preferem alugar quadriciclos e ir até cachoeiras próximas, ou fazer trekking em trilhas da região. Há ainda a opção de passar o tempo nas pousadas, dependendo de qual o turista estiver hospedado. Algumas possuem piscinas privativas, jacuzzi´s com vistas para as montanhas e outros atrativos diferenciados. O fato é que Lavras Novas é uma ótima pedida próxima a Belo Horizonte e Ouro Preto, e que sei que vai conquistar o coração de quem visitá-la. A cidade permite que os turistas conheçam e desfrutem do tradicional clima interiorano mineiro, de gente simples, acolhedora, com uma proximidade forte com a natureza e com a culinária que é apreciada no mundo inteiro.

Pessoas relaxando na sombra e curtindo música.

Bares com música ao vivo na Rua Nossa Senhora dos Prazeres.

Cidade cheia de turistas.

Turistas que alugaram quadriciclos e estão a caminho das cachoeiras.

Muitos turistas curtindo os bares de Lavras Novas.

Algumas dicas são importantes:

  • Lavras Novas é especialmente procurada no inverno, principalmente nos meses de Junho e Julho, devido ao dia dos namorados e ao frio que proporciona um clima romântico. Sendo assim, é interessante uma programação prévia e o agendamento antecipado de pousadas e restaurantes. As pousadas que oferecem chalés, lareiras e vistas para as montanhas são as mais disputadas.
  • A experiência de ficar hospedada em chalés é incrível. Além de privacidade, os chalés costumam ser bem equipados e confortáveis, além de charmosos. Algumas pousadas, inclusive, oferecem aparelhos para fondue e café da manhã no quarto para maior conforto dos hóspedes.

Nunca se esquecer de utilizar protetor solar antes de começarem os passeios. Andar também com uma garrafa de água mineral e com calçados confortáveis. A cidade tem alguns morros e as ruas são de pedras, o que pode causar desconforto e prejudicar as caminhadas.

Ruas de pedras, sendo algumas morros acentuados. Estar com um calçado confortável é primordial.

  • Lembrar sempre de observar os detalhes da cidade, como os moradores acompanhando o movimento das ruas pelas janelas, os enfeites das pousadas e lojas, a simplicidade de pessoas locais conversando em bares, entre outras coisas. Minas Gerais é muito rica em detalhes, e são eles que formam sua cultura tão complexa e encantadora.

Detalhe das casas simples e bonitas de Lavras Novas.

Detalhe de uma das lojas com as delícias de MG.

Detalhes de uma vida tranquila de interior.

Casas com a Igreja Nossa Senhora dos Prazeres ao fundo.

Detalhes da torre da Igreja Nossa Senhora dos Prazeres.

  • Para quem gosta de trekkings e cachoeiras, informar-se nas pousadas, nos mapas e também nas locadoras de quadriciclos quais são as mais indicadas, assim como os caminhos a serem feitos e as recomendações a serem seguidas.

Mapa de Lavras Novas que recebemos na pousada em que nos hospedamos.

  • Para quem for alugar carro para ir a Lavras Novas, dar preferência a modelos mais altos e potentes, pois a estrada de terra que dá acesso ao local possui subidas e trechos com cascalhos que podem exigir maior potência e resistência do veículo.

Parte íngreme da estrada de terra.

  • Vai ficar em pousada com chalés? É interessante levar aperitivos e bebida para curtir à noite. Se for inverno, a dica é levar ingredientes para preparar fondue. Confirme antecipadamente com a pousada se ela oferece aparelhos de fondue para seus hóspedes.
  • Como a cidade é próxima a Ouro Preto (20 km) e Mariana (35,2 km), é viável a opção de passar o dia em alguma dessas cidades e voltar a Lavras Novas no fim do dia. A única recomendação é não voltar já à noite, para não enfrentar a estrada de terra somente com a luz do farol do carro.
  • Como chegar a Lavras Novas? Uma sugestão é usar o mapa do Google, assim o GPS guiará corretamente até o local. Fizemos isso e deu tudo certo!
  • Vá conferir o fim de tarde e pôr-do-sol em frente à Igreja da cidade, Nossa Senhora dos Prazeres. Além de ela ficar linda à luz do sol de fim de tarde, dá para acompanhar a chegada de moradores locais à missa. Típica rotina tranquila do interior de Minas Gerais.

Rotina tranquila de fim de tarde em frente à Igreja Nossa Senhora dos Prazeres.

A linda Igreja Nossa Senhora dos Prazeres à luz de fim de tarde.

Anoitecer em frente à Igreja Nossa Senhora dos Prazeres.

  • Uma dica de restaurante para jantar é o italiano Ristorante Cucinetta, localizado na Rua Nossa Senhora dos Prazeres, número 1191. É aconchegante, agradável e a comida é ótima e bem servida. Chegamos a ficar alguns minutos na fila de espera, mas valeu à pena.

Pedimos como entrada Bruschettas. Uma delícia.

Prato principal. Também muito gostoso.

Há também, na cidade, restaurantes com outros tipos de comida e também as Tabernas, sempre tão procuradas pelos turistas. Para maiores informações, acesse o site: http://www.lavrasnovas.com.br/

Fica o convite para todos conhecerem Lavras Novas, uma cidade tão querida pelos mineiros e inesquecível para todos que conhecem essa cultura viva de Minas Gerais.

Lavras Novas linda!

Moradora observando o movimento de turistas.

Fotos: Tiago Morais

Mais sobre Minas Gerais

Facilite sua viagem

Categorias: Brasil, Lavras Novas, Minas Gerais
Página 1 de 10212345Última »