12 Aug

El Chaltén: 2 dias de aventura e paisagens deslumbrantes

A grande responsável pela inclusão da cidade de El Chaltén na nossa viagem a Patagônia foi a Carolina Rodrigues do Blog Dicas e Roteiros de Viagens. Nada melhor do que ótimas dicas e fotos maravilhosas de um viajante que já se rendeu as aventuras de El Chaltén concordam?

1011481_10200198718762708_2112936300_n

HOSPEDAGEM

Mais uma vez o Booking.com foi o responsável pela nossa reserva do hotel e depois de algumas indicações e análise do custo x benefício escolhemos a Hosteria Koonek.

Pontos Positivos: localização, atendimento e a cordialidade dos funcionários em nos orientar e facilitar nosso receptivo (transfer hotel – rodoviária/transfer hotel – hosterial El pilar/taxis), flexibilidade no horário do café da manhã, quarto amplo e banheiro limpo.

Pontos Negativos: Cama de casal muito pequena e barulhenta.

COMO CHEGAMOS

Compramos uma passagem de ônibus de El Calafate para El Chaltén com a Cal Tur, ARG$ 280,00 ida e volta por pessoa, em uma agência de turismo na Avenida Libertador San Martín com 3 dias de antecedência. A empresa oferece saídas diárias em três horários. Nós optamos pelo horário das 18:30 hrs e a escolha não poderia ter sido melhor, pois conseguimos aproveitar o dia em El Calafate e ainda fomos surpreendidos por um pôr-do-sol maravilhoso durante todo o trajeto com o monte Fitz Roy ao fundo, inesquecível!

A Chalten Travel é outra companhia de ônibus que realiza esse mesmo trajeto, mas esse ônibus é de linha e não oferece nenhum conforto para uma viagem com 3 hrs de duração. Por isso optamos pela Cal Tur que oferece assentos mais confortáveis e ar condicionado.

OBSERVAÇÃO: Compre a passagem com antecedência, já que a procura é muito grande e mesmo com ônibus extras há a possibilidade de não conseguir o trecho. Outra opção para aqueles que já gostam de viajar com tudo organizado é adquirir as passagens pela Plataforma 10. O site é seguro e aceita pagamento com cartão de crédito.

index.php

DESCRITIVO DO ROTEIRO

1° Dia: Trekking Laguna Los Tres

Sem sombra de dúvidas esse foi o maior desafio durante toda a nossa viagem a patagônia e independente da aquisição dos equipamentos adequados e o preparo físico e emocional (rsrsrs) antes da realização do percurso, qualquer tentativa passava longe de criar uma situação próxima da realidade de um trekking com essas mesmas características, sendo um trajeto longo e com alto grau de dificuldade isso já estávamos cientes e cansados de saber, mas vivenciar essa aventura foi ao mesmo tempo e na mesma proporção desgastante e motivador, no qual esse equilíbrio nos deu a seguinte lição: sempre podemos e somos capazes de fazer e realizar tudo aquilo que almejamos.

A Dona da Hosteria Koonek nos orientou a utilizar o serviço de van do centro a Hosteria El Pilar, já que a distância de 14 Km não era tão atraente e reduziria o rendimento no que realmente compensava. Seguimos o conselho e compramos nossa passagem por ARG$ 60,00 ida/pessoa. Para os mais condicionados e corajosos o percurso pode ser realizado a pé.

Partindo da Hosteria El Pilar seguimos aproximadamente 6 Km, cerca de 1:30 hrs, para o mirador Glaciar Piedras Blancas. Consideramos todo o percurso com fácil acesso, boa estrutura para ser transitado, mas em alguns trechos faltou sinalização. Nada que outros viajantes não te ajudem pelo caminho (rsrsrs). Demos continuidade até passar pelo Acampamento Poincenot e nos demos conta que o maior trajeto já havia sido percorrido, mas que o pior trecho ainda nos aguardava. Há poucos metros do acampamento já iniciaríamos o trecho final do trekking e não imaginávamos o que nos aguardava um intenso trecho de subida íngreme. Mas, não era qualquer subidinha (rsrsrs) Era subida que não acabava mais. O tempo ainda não ajudava para motivar porque está tudo coberto por nuvens e não conseguíamos ver nem a pontinha do Fitz Roy. Esse trecho é muito exaustivo porque exige muito do condicionamento físico, mas o Parque Nacional Los Glaciares trabalhou com uma estrutura de escadas feitas em pedras para auxiliar e dar mais segurança aos “trilheiros”. Essa grande subida durou cerca de 2:30 hrs, já somados aos períodos de pausas para descanso e fotos.

Além do desgaste físico fomos surpreendidos com um desgaste emocional inesperado… Concluir nossa missão e não conseguir visualizar o monte Fitz Roy. O jeito foi fazer aquela pausa para lanche e esperar o tempo mudar. Permanecemos cerca de 2 hrs esperando o tempo limpar sob vento forte, mas a paisagem privilegiada foi mais que recompensadora.

“Fitz Roy”, na linguagem dos índios Telhuelches significa “Montanha que fuma”.

Depois de apreciar a vista deslumbrante do local nos preparamos para a descida que foi outra surpresa (rsrsrs). O trajeto, também, tinha 12,5 Km e demoraria certa de 4:30 hrs até o vilarejo de El Chaltén.

index.php

Retornamos pelo Trekking Laguna de Los Tres que passa pela Laguna Capri e pelo Rio Las Vueltas, mas o percurso também era com alto grau de dificuldade e os longos trechos de descida foram sofridos para nossos joelhos. Por isso, não esqueçam seus bastonetes de trekking ou alugem.

Concluímos todo o trekking com a parada para fotos e almoço em 10 horas e foi tempo suficiente para desfrutarmos das lindas paisagens e garantir ótimas recordações. Mas, lembrem-se o percurso é longo e cansativo por isso é importante ir preparando seu corpo com alguns meses de antecedência; não se esqueça da sua mochila com uma garrafa de água e algum lanche leve; nunca deixe lixo no local; seu corpo pediu um descanso, respeite-o; reserve o dia todo para o trekking e estude antes o trajeto a ser percorrido.

index.php

2° Dia: Viedma Ice Trek

Fechamos o passeio em El Calafate com a agência Patagonia Aventura (http://www.patagonia-aventura.com/portugues/index.html). O passeio consiste em um trecho em ônibus até o ponto para embarque no barco, navegação pelo Lago Viedma, caminhada pela borda do glaciar viedma e um trekking de 2:30 hrs sobre a geleira com orientação e supervisão dos guias.

Há uma etapa de caminhada em rochas sem grampones que somente são colocados no momento da caminhada em cima das geleiras, na qual podemos observar fendas, fissuras e gretas formadas no Glaciar Viedma. No último instante do passeio fomos surpreendidos por uma caverna, na qual podemos apreciar um excelente licor de whisky, o Baileys.

Duração: 6 hrs.

Valor: ARG$ 730,00 por pessoa

Recomendações:

– Levar lanche, pois o valor do passeio não está incluso almoço ou lanche

– Usar roupas confortáveis, casaco impermeável, luvas, gorros e óculos de sol

– O passeio pode ser realizado com pessoas acima de 12 anos

index.php

INDICAÇÕES DE RESTAURANTES:

– Rotisería Nipo Nino. Avenida San Martin 872. Ótimas empanadas e eles preparam várias opções de sanduiches para levar para os trekkings. Pedimos um lanche com presunto, queijo e salada e saia em torno de 18 pesos cada.

– El Muro. Vimos uma foto em um blog da lasanha de cordeiro e não teve dúvidas na nossa escolha. A lasanha serve 2 pessoas por um valor de ARG$ 88,00.

La Cervejeria. Avenida San Martin 320

Adoramos o chopp artesanal da La cervejaria, tem as opções em bock (ARG$ 30,00 a tulipa) e pilsen (ARG$ 28,00 a tulipa) e eles ainda oferecem como cortesia pipoca para petiscar enquanto você degusta o chopp.

Categorias: América do Sul, Argentina, El Chaltén, Patagônia
31 Jul

El Chaltén: Capital nacional do trekking

El Chaltén é uma pequena cidade da Argentina conhecida mundialmente pelo turismo de aventura com foco no trekking, rafting, escaladas e montains bikes. Outro grande atrativo é o fato do seu povoado ser muito pequeno, 300 habitantes, e estar isolada de grandes cidades. Contudo, isso não a torna menos importante, já que é a única porta de entrada da zona norte do Parque Nacional Los Glaciares e permite o acesso aos mais famosos complexos de montanhismo da América Latina como o Cerro Torre (3102 metros de altitude) e o Monte Fitz Roy (3405 metros de altitude).

Fitz Roy visto na estrada ainda a 100 km de distância de El Chaltén

Fitz Roy visto na estrada ainda a 100 km de distância de El Chaltén

A principal fonte de renda dos poucos moradores locais é gerado pelo turismo focado na parte Norte do Parque Nacional Los Glaciares. Infelizmente, os pacotes de excursões das operadoras não incluem a cidade nos roteiros pelo sul da Argentina. Uma pena!

Quando ir

Entre os meses de Novembro à Abril, pois os dias são mais longos e o clima favorece as atividades ao ar livre. A cidade é pouco visitada durante o inverno, já que as trilhas estão fechadas e cobertas por neve.

Como chegar

Carro:

De El Calafate até El Chaltén são 220 Km de distância percorridos pela Ruta 40 com toda a estrada asfaltada e livre de qualquer taxa pedágio.

Ônibus:

–  ChaltenTRavel

Taqsa Patagonia

Plataforma 10

Cal Tur

Excursão Full Day:

Em El Calafate tem várias agências de turismo que oferecem esse passeio para El Chaltén. Na Avenida Libertador San Martín você encontrará diversas opções para pesquisar custo x benefício.

Entrada da cidade de El Chaltén

Entrada da cidade de El Chaltén

Quanto tempo ficar

Depende do objetivo da viagem. Se você quer somente conhecer El Chaltén e não é adepto de nenhuma atividade de aventura um dia é ideal para você curtir as paisagens. Mas, se você quer explorar um pouco das atividades que a cidade oferece é necessário estender sua permanência de 2 à 5 dias.

O que fazer

Trekking Laguna de Los Tres: excelente mirador do monte Fitz Roy, possuí 12,5 Km de ida a distância a ser percorrido em aproximadamente 4:30 hs. A trilha é classificada com um grau de dificuldade difícil, por isso recomenda-se o uso de calçados e bastonetes para trekking.

Trekking laguna de los Tres por Hosteria El Pilar: distante a 14 Km do centro de El Chaltén tem um percurso todo entre o bosque, sendo uma excelente combinação com o trekking a Laguna Capri. Todos os dias, ônibus saem do centro para a hosteria pilar ou pode-se percorrer mais essa distância a pé.

 – Trekking Hosteria El Pilar ao mirador Glaciar Piedras Blancas: a trilha é classificada de fácil à moderada e seu percurso tem 6 Km de distância com 1:50 hs de duração.

Trekking Laguna Piedras Blancas: é o menos transitado, por isso é fundamental  consultar as condições da trilha no centro de informações turísticas do Parque Nacional Los Glaciares para saber se há ou não a possibilidade para realizar a mesma. A trilha é classificada com um grau de dificuldade moderado e seu percurso de 12,5 Km de distância pode ser concluído em aproximadamente 4 hs.

Trekking Laguna Capri: somente a 7 Km de distância do centro de El Chaltén, tem seu grau de dificuldade moderado em decorrência dos primeiros 25 minutos de trilha que é somente de subida. É considerado, também, um ótimo mirador para o monte Fitz Roy.

Trekking Laguna Torre: no trekking você tem o privilégio de apreciar os três miradores da região: Mirador Del Torre (Fácil/1:15 hs), Laguna Torre (Fácil/3 hs) e Mirador Maestri (14 Km/4 hs).

Trekking Madre Hija: É o trajeto mais movimentado do Parque Nacional, pois é o trajeto utilizado para os acampamentos. Duração: 2:30 hs. Distância: 8 Km. Grau de Dificuldade: Fácil

Trekking Mirador de Lo Condores: vista linda do norte de El Chatén e de todos os cerros ideal para ser apreciado no amanhecer ou entardecer. Duração: 45 minutos. Distância: 1 Km. Grau de Dificuldade: Fácil

Trekking Mirador de Las Aguilas: vista do sul do Lago Viedma e da Bahía Túnel. Duração: 1 hs. Distância: 2 Km. Grau de Dificuldade: Fácil

Trekking Laguna Toro: Percurso longo com acampamento livre de serviços e dispensa o registro obrigatório no Parque Nacional. Duração: 7 hs. Distância: 15 Km. Grau de Dificuldade: Difícil

Estancia Los Huemules: é uma reserva natural na qual só é permitida a visitação com o pagamento de uma taxa. É necessário obter informações no Centro de Informações da estância

Estancia Lago Del Desierto/Sendero a Glaciar Huemul: caminhada em área privada que tem seu início na ponta sul do lago del desierto. É indispensável o pagamento de uma taxa para visitação. Duração: 1 hs. Distância: 2 Km. Grau de Dificuldade: Fácil

Navegação Lago Viedma: com 2:30 hs de duração percorre o Lago Viedma em frente ao Glaciar Viedma. Os passeios saem diariamente no período matutino.

Navegação Lago Del Desierto (Punta Sur – Punta Norte)

Trekking Glaciar Viedma: passeio de 6 hs de duração combinada com a navegação. Saídas diárias. É necessário consultar agência de turismo Patagonia Aventura

Mountain Bike: A Rota n° 23 a Lago del Desierto é um caminho ótimo para pedalar.

Práticas de Esclada em Rocha e no Gelo: necessário consultar empresas de turismo sobre a contratação de passeios.

Pesca: É preciso consultar o Centro de Informações do Parque Nacional, Centro de Informações Comunal no Terminal de ônibus e a Guarda Nacional a fim de conseguir a permissão para a prática, pontos habilitados e restrições.

Cavalgadas

Caiaque: os melhores locais para caiaque são o Río de las vueltas e o río Leona (Lago Viedma ao Lago Argentino).

Acampar: El Chalten oferece 4 acampamentos livres de serviços:

  • Laguna Capri: 7 km distante do centro de El Chaltén. Duração: 1:45 hrs de caminhada.
  • Poincenot: 9,5 km distante do centro de El Chaltén. Duração: 3:45 hrs de caminhada.
  • Agostini: 10 Km distante do centro de El Chaltén. Duração: 3 hrs de caminhada.
  • Laguna Toro: 15 Km distante do centro de El Chaltén. Duração: 7 hrs de caminhada.

Trekking auto Guiado a Laguna Torre (Cerro Torre)

Navegação pelo Lago del Desierto

Trekking ao Glaciar Huemul

Viedma Ice Trekking

Ruas da cidade de El Chaltén e os Cerros que fazem parte da paisagem no decorrer de toda a cidade

Ruas da cidade de El Chaltén e os Cerros que fazem parte da paisagem no decorrer de
toda a cidade

Agências de Turismo

Viva Patagonia!

Patagonia Aventura

Walk Patagonia

Lago San Martin Patagonia

Aluguel de Equipamentos

La Tienda Rental: Avenida san Martin, n°175

Viento Oeste: Avenida San Martin, n° 898

Camping Center

Onde ficar

Hotel Picos del Sul

Hosteria Koonek

 

 Fitz Roy

Fitz Roy

Onde comer

– El Muro

La Cervejeria: Avenida San Martin 320

– Asador e Parrilla Mi Viejo:  Avenida San Martin 780

– Rotisería Nipo Nino:  Avenida San Martin 872

O que levar?

Tênis ou botas para trekking, mochila, bastonetes para trekking e roupas adequadas para o clima e a atividade a ser praticada. Levar óculos de sol, gorro, luvas e protetor solar.

Categorias: América do Sul, Argentina, El Chaltén