A primeira viagem de avião do bebê

28 de junho de 2016   |   Bebê

Este final de semana tivemos um evento um tanto importante para uma família de viciados em viagens: a primeira viagem de avião do bebê Augusto. A viagem era curta – 45 min até Chapecó para visitar os avós, mas mesmo assim, a mamãe aqui já estava ansiosa há alguns dias. Não sabia como ele iria reagir: chorar, dormir ou simplesmente ficar acordado curtindo o voo. Saímos as 13h de um sábado de Florianópolis e voltamos no domingo ás 15h. Viagem super rápida para fazer a estréia!

primeira viagem de avião do bebe

Voamos de Avianca e não pagamos passagem para o Augusto – apenas uma taxa de R$20 (menores de 2 anos podem ser cobrados, mas se não ocuparem um assento, o valor é de até 10% da tarifa. Maiores de 2 anos já devem ter seu lugar garantido no avião e pagam tarifa  com um desconto definido por cada companhia, que pode chegar a 50%). Para o check-in, foi necessário a presença do pai ou da mãe (depende de quem você vinculou o bebê na hora da compra) e a certidão de nascimento (Não dá para fazer check-in on-line, é necessário a presença do bebê e do responsável). Coloquei uma roupa bem confortável e quentinha para ele não sentir tanto as consequências do voo. Minha maior preocupação eram as dores de ouvido causada pela pressão do ar e também pela imaturidade do sistema auditivo do bebê. Para aliviar a pressão, o bebê deve mamar ou usar a chupeta. O Augusto mamou em casa, antes de sairmos, e usou a chupeta tanto na decolagem quanto na aterrissagem. E ainda dormir a viagem toda. Não chorou. Apenas dormiu tranquilamente. Um viajante nato para a alegria dos papais!

Nós levamos o carrinho e o bebê conforto, que foram etiquetados no check-in e deixados antes do embarque, na porta do avião. Eles não são despachados como as bagagens tradicionais nem levados como bagagens no interior do avião. Quando pousamos e descemos do avião, eles estavam nos esperando na esteira junto com as bagagens no aeroporto de Chapecó. Em Florianópolis, Estavam montadinhos e nos esperando na porta do avião, ao final da escada.

Tomei o cuidado de trocar a fralda do Augusto no aeroporto pois havia fraldário. Alguns aviões não possuem fraldário por isso, eu quis garantir. Levei uma bolsa com as coisas do bebê (como bagagem de mão) como roupas extras, fraldas, pomadas, remédios e uma manta. Mas como o voo foi rápido (45 min) não precisei trocar o Augusto :)

Enfim, a viagem foi super tranquila. O Augusto se comportou super bem e os papais ficaram super felizes! Ele está com 2 meses e meio e enfrentou tudo muito bem! Que venham as viagens longas que estamos prontos!

 Facilite sua viagem

Por
Clarissa
Compartilhe este post
Deixe um Comentário
Deixe seu Comentário